Skip to content
    voltar

    Como fazer um planeamento financeiro eficaz para 2024?

    “Este ano que passou foi um desastre, não fiz nada do que me comprometi no início do ano…”

    “Ano novo, vida nova…”

    “Agora sim, é este ano que finalmente vou começar a poupar e a cortar em alguns gastos…”

     

    Estas são as típicas afirmações que fazemos cheios de certeza ano após ano, mesmo sabendo da elevada probabilidade de no ano seguinte ser exatamente igual… definimos demasiados objetivos, ambiciosos e irrealistas que acabamos por, inevitavelmente, deixar cair.

     

    Ora, para combater esta tendência negativa e entrar em 2024 com o pé direito, nada melhor que refletir sobre este ano que passou e definir objetivos para o futuro. É importante fazer um balanço do ano, do orçamento e dos investimentos, ver a evolução dos objetivos financeiros e definir os objetivos para o ano que aí vem.

     

    De forma simples e eficaz, sugerimos 5 passos que podem ajudá-lo a planear e mudar o seu próximo ano, a sua vida e dar-lhe uma nova perspetiva sobre as suas finanças pessoais.

     

    Se falhar no planeamento, está a planear falhar.

     

    1. Rever o seu orçamento familiar

    Comece o ano por rever o seu orçamento. Identifique o rendimento mensal médio, bem como as despesas fixas e variáveis. Depois, determine as suas prioridades financeiras para 2024, assim como os objetivos de poupança.

    Reavaliar o orçamento pode ser especialmente vantajoso agora. Com a inflação elevada, passou-se a alocar maiores verbas para bens essenciais, podendo haver a necessidade de reduzir custos noutras categorias. É vantajoso manter uma monitorização contínua do cumprimento do orçamento e dos objetivos. 

     

    O orçamento dita ao seu dinheiro para onde ir, em vez de questionar para onde foi.

     

    1. Estabelecer mecanismos de poupança

    Identifique e utilize as ferramentas de gestão financeira úteis para ajudar a controlar os rendimentos e as despesas, assim como para aplicar o dinheiro, ao poupar e investir.

    Acima de tudo, defina hábitos de poupança regulares e eficazes. Para isso, deve ter os objetivos de poupança definidos, e a periodicidade e valor de poupança para os atingir.

    Por exemplo: poupar 300 € por mês, de forma automática, durante 5 anos para atingir um objetivo de 18.000 € para obras na casa. A Fidelidade tem o produto ideal que poderá ajudar a cumprir os objetivos de poupança, o Fidelidade Savings.

    Além disso, independentemente da sua idade, é importante pensar na reforma e garantir um rendimento adicional para complementar a pensão da Segurança Social. Para tal, um PPR (Plano Poupança Reforma) serve este propósito com benefícios fiscais à entrada (dedução fiscal) e à saída (menor tributação sobre os rendimentos). Um exemplo de um PPR que combina opções de maior rentabilidade e de capital garantido consoante a idade do cliente é o PPR Evoluir.

     

    Não poupe o dinheiro que sobrou depois de gastar, mas gaste aquilo que sobra depois de poupar.

     

    1. Reforce ou constitua  um fundo de emergência

    Verifique se tens os fundos adequados reservados para uma possível emergência futura. Ter um fundo de emergência é especialmente importante em tempos em que a economia está a abrandar e em que o futuro é incerto.

    Um fundo de emergência não só pode ajudá-lo a evitar a liquidação de ativos da carteira a preços potencialmente baixos durante períodos de volatilidade do mercado, como também em manter estabilidade financeira mesmo em circunstâncias de vida imprevistas, como uma mudança na situação de emprego ou numa emergência médica. Em regra geral, para um fundo de emergência deve-se poupar o equivalente entre três e seis meses de despesas.

     

    Planear é trazer o futuro até ao presente, para que possa fazer algo agora.

     

    1. Gira as suas dívidas

    Procure reduzir e consolidar a sua dívida, mesmo que já estejas a geri-la bem. Se está à espera de um aumento, um subsídio ou de um bónus de final de ano, considere aplicar o rendimento para amortizar as dívidas com maiores taxas de juro. Além disto, deve também procurar poupar ou investir parte dos seus rendimentos extraordinários.

    Depois, pode consolidar qualquer dívida remanescente, de modo a trocar taxas de juro variáveis em vários empréstimos por uma taxa potencialmente mais baixa num único empréstimo. Reduzir o número de empréstimos pode também ajudar a simplificar a vida financeira e a aliviar o stress financeiro.

     

    A melhor coisa que o dinheiro pode comprar é a liberdade financeira.

     

    1. Priorize o bem-estar financeiro

    Continue a dar prioridade ao seu bem-estar pessoal e financeiro neste ano que aí vem. Identifique os recursos disponíveis de bem-estar para a saúde física, mental ou financeira, tanto na sua vida pessoal como na vida profissional. 

    Tenha sempre presente que o conhecimento é a melhor arma de desenvolvimento que podemos possuir. Invista na sua literacia financeira, leia blogs como o nosso, consulte livros, siga as nossas dicas no Instagram e utilize a Academia na app MySavings para complementar a tua aprendizagem e evolução.

     

    O investimento em conhecimento é aquele que traz maiores dividendos. 

     

    Partilhe esse Artigo

    Facebook Linkedin Anexar